Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A decisão de contrair um empréstimo pode influenciar toda a sua vida. Nesse sentido, ponderação é a palavra chave e existem alguns pontos importantes que deve considerar.

Qual o objectivo do empréstimo?

O produto que pretende comprar com o empréstimo tem de fazer sentido para a sua vida e não constituir uma coisa supérflua e dispensável. As coisas que adquire com o seu dinheiro devem trazer algum tipo de benefício para si para a sua família. Por exemplo, fazer obras de melhoria na sua habitação, portas melhor isoladas, janelas de vidro duplo, etc. reduzirá as suas contas de electricidade, e com o dinheiro que poupa em electricidade, o empréstimo poderá ser pago “por si mesmo”. Se, por outro lado, contrair uma dívida para comprar bens com um período de vida curto, não irá obter deles qualquer benefício a longo prazo. Esta é uma das razões pelas quais deve pensar duas vezes antes de iniciar um processo de endividamento. Talvez o bem que gostaria de comprar não seja realmente necessário, e assim, em vez de obter um empréstimo, poderia simplesmente esperar até ao próximo salário, ou iniciar um plano de poupança para o comprar. Um empréstimo pode parecer ser a solução mais rápida, mas nem sempre é a solução mais adequada.

Reembolso do empréstimo

Deve ter bem presente que um empréstimo tem de ser reembolsado e que a sua obrigação não termina quando  compra os bens para os quais o empréstimo se destinou, mas apenas quando tiver reembolsado a totalidade do empréstimo acrescido dos juros acordados com o banco. O bem que comprou já pode até ter perdido a maior parte de seu valor, ou pode ter desgastado, ou pode ser algo como umas férias que terminaram há muito tempo. No entanto, se contraiu esse empréstimo para financiar essa despesa, terá de ter em conta que precisará de muitos mais meses para o pagar, do que aqueles em que esteve a usufruir desse bem. Por outras palavras: não só o objectivo do empréstimo, mas também o período de reembolso deve ser tido em consideração. Em geral, o período de reembolso do empréstimo não deve exceder a vida útil do produto que compra. Esta situação é particularmente sensível se já possuir outros empréstimos e se estiver numa situação de sobre endividamento. Nesse caso deverá colocar a hipótese de consolidar créditos.

Idealmente deverá tentar proceder à liquidação total do empréstimo, no menor tempo possível, consoante o seu orçamento familiar mensal o permita. Desta forma estará a poupar bastante em juros e noutros custos normalmente associados aos créditos. Lembre-se que o lucro das instituições financeiras são os juros que lhes paga, pelo que, esse valor será sempre bastante significativo. E quanto mais tempo demorar a pagar o seu empréstimo, mais tempo terá de suportar esse custo.

Cuidados antes de contrair um empréstimo
Classificado como: